Aurelio Diaz Tekpankalli 

 

Aurelio Diaz Tekpankalli é fundador e líder internacional da Native American Church of the Sacred Fire of Itzachilatlan,fundada nos Estados Unidos, em Chicago/IL, que tem representações em diversos

países do continente americano e da Europa, entre eles México, Colômbia, Peru,Equador, Chile, Argentina, Brasil, Portugal, Espanha e Inglaterra.

 

Tekpankalli nasceu em 1954, em Michoacán, México, onde viveu durante a infância e o começo de sua juventude, e se denomina como índio purepecha52. Ele relata que teve uma forte influência de seu avô, que era descendente de indígenas e vivia no campo. Durante a adolescência, mudou-se com seus pais para os Estados

Unidos e durante parte de sua juventude nos EUA passou a praticar arte através da pintura, com temas relacionados ao indigenismo e política, que ele expressa ser decorrente da inspiração e treinamento que recebeu de seu avô Purepecha nabusca do “conhecimento dos seus ancestrais”. A maioria de suas obras está em Chicago e na Cidade do México, sendo que seus murais também apareceram na

National Geographic e Revista Américas.

 

 

Tekpankalli conta que começou a participar das cerimônias a partir deencontros com “irmãos indígenas” nos Estados Unidos, sendo dessa maneira que iniciou a sua participação em Cerimônias de Temazcal e de Medicina, da Dança do Sol e da Busca de Visão, na qual participou pela primeira vez em South Dakota em 1980, e dessa forma começou a conhecer alguns líderes indígenas norteamericanos como Henry Crow Dog, Leonard Crow Dog, Black Elk, entre outros. Tekapankalli também relata que morou em diversas reservas indígenas, participando de várias cerimônias e rituais com anciões, onde teria sido iniciado em diversas “tribos e nações indígenas”, entre elas os Lakota Sioux de Rosebud, onde teria sido reconhecido como um Chefe da Dança do Sol.

 

Tekpankalli também expõe que, posteriormente, propôs-se a expandir esse conhecimento para além das fronteiras das comunidades indígenas, recombinando esses elementos que reuniu ao longo de sua trajetória, que culminaram na fundação da Igreja Nativa Americana do Fogo Sagrado de Itzachilatlan. Tais relatos sobre a sua trajetória e sobre o Fogo Sagrado se fazem presentes em dois livros escritos por Tekpankalli: Una voz para los hijos de la tierra. Tradicion oral del Camino Rojo (1996) e El regreso al camino de mis antepasados (2005), que foram lançadas pela Igreja Nativa Americana de Itzachilatlan.

 

Uma das ideias presentes na cosmologia do Fogo Sagrado é a de que todos são “filhos da terra”, portanto todos são indígenas.

Pelo que, Tekpankalli sustenta que “seriamos os ‘descendentes originais dessa terra nativa’, sendo que nossa origem e ascendência estariam na memória milenar da terra e do universo”. Nesse sentido, entre os propósitos da nossa existência teríamos que recordar a “verdade original”, “a memória e os conhecimentos mais antigos”, dos “nossos antepassados”, que estariam todos ligados a Pachamama (Mãe Terra, Natureza), morada comum e provedora da vida no planeta. Nesta visão, também se entende que todos estão relacionados na Terra, sendo que todos têm uma mesma origem e um mesmo fim (Tekpankalli, 2007).

 

 

 Fonte: UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ANTROPOLOGIA SOCIAL - HENRIQUE DA COSTA RESSEL - Cerimônias nativas: tradição e inovação no Fogo Sagrado de Itzachilatlan. 

 

 

 

Sobre: Native American Church - NAC

  • Wix Facebook page
  • Wix Twitter page
  • Wix Google+ page